domingo, 13 de setembro de 2015

A Primavera da Vida: Uma Palavra Amiga aos Jovens




 Dizem que a primavera é a mais bela das estações e que a beleza que nela irradia não contemplamos igual em outras estações. Ela enche os campos de flores; dá brilho e majestade aos céus, enche os mares de vida. 

Por assemelharem esta estação com a juventude, chamam-na os poetas de "primavera da vida", por nela contemplarem uma fecundidade e um brilho singular; um brilho que raramente se reproduz com o mesmo fulgor em outras fases da vida...

Na juventude tudo é novo... E o novo sempre é surpreendente. 

A vida floresce e no peito aflora também o perigoso impeto das paixões, que turva a visão. 

Ante o amplo horizonte que se desfrauda majestosamente, um insinuante grito de liberdade ecoa do coração do jovem, louco por desbravar este mar de novidades que se apresenta. 

És jovem, e queres a felicidade... Mas a indecisão te tomara o coração constantemente... É necessário tomar uma posição... Não podes ficar indeciso... 

Então a inconfundível voz de Deus se apresentará a ti, de muitos modos, com sua proposta inescusável:

"Ponho diante de ti a vida e o bem, e doutra parte, a morte e o mal [...] escolhe pois a vida, para que vivas..." (Deut 30, 15. 19).

Porém, também, haverá um grito de rebelião, insinuante, vindo do mundo; do demônio; da carne decaída, te convidando a exceder os limites demarcados por Deus... E repetir o grito que irrompe das profundezas infernais: "Non serviam" (Jer 2, 20), 

Há uma estoria que traduz muito bem a condição de muitos jovens que se veem divididos entre o bem e o mal.

Conta-se que certa ocasião um jovem teve um sonho, e viu duas multidões separadas por um grande muro... E sobre o muro estava ele.
De um lado, estava a Divina Majestade e toda a côrte celeste, que fazia pedidos insistentes para que o jovem descesse do muro e viesse para o lado de Deus. 
Do outro lado do muro, estava satanás e seus sequazes... Porém, em silêncio olhando para o jovem... 
O silêncio de satanás chamou a atenção do jovem. E resolveu perguntar porquê ele estava calado enquanto Deus insistia tanto para que ele descesse do muro e viesse para o seu lado? 
Satanás respondeu de forma breve e clara:
"Porque o muro me pertence!".

Estas duas multidões estão diante de ti: Deus e toda a corte celeste... E de outro lado, satanás, seus demônios e seus muitos asseclas mundanos... Não podes ficar em cima do muro, pois o muro já é uma escolha!

É nesta atmosfera bélica, onde um campo de batalha se ergue em teu coração, que terás está interrogação na alma: "A quem queres servir?" (Jos 24, 15). Não poderás ficar indiferente a esta pergunta, que te inquietará a vida inteira! Não poderás permanecer alheio a estes apelos que vem desses dois lados do muro... De Deus e do demônio... 

A primavera da vida

Há uma grande questão que rege a estação das flores: se a primavera não for bela, o verão passará sem colheitas... 

Se a primavera da tua vida não for vivida com pureza, teu futuro será esteril. Se o terreno do teu coração não for bem cultivado para receber as flores da virtude, ele se encherá das ervas daninhas do vício. 

Não podes esquivar-te da escolha entre o bem e o mal, pois ela sempre estará diante de ti.

E no caminho do mal, quando se dá o primeiro passo, será difícil não dar o segundo, o terceiro, e o último e definitivo, que te precipitará eternamente em seus abismos. E lá permanecerá até o fim, conforme, alerta as escrituras:

"O jovem mesmo ao envelhecer, não se afastará do caminho trilhado na juventude" -- Adolescens iuxta viam suam etiam cum senuerit non recedet ab ea - (Prov 22, 6).

A beleza da juventude está na pureza com que é vivida. Se, no entanto, cedes aos instintos bestiais que começam a aflorar neste "corpo de morte", estás sujeito a ruína!

Que radiante é a primavera!

Nesta idade critica, muitos atrativos surgirão. Mas não se engane com a superficie colorida com que a impureza se apresentará. Por baixo dela esconde-se um tenebroso pântano. E não se engane com a austera aparência da castidade... Por baixo dela se esconde o paraíso. 

Quantos atraídos pela festiva aparência com que a impureza se apresentava inicialmente, hoje atormentam-se com sua horrenda face... O jardim superficialmente florido, tornou-se pântano escuro e lodoso; aquela fachada luminosa e alegre caiu, restando as tristes ruínas de um castelo sombrio e sordido. 

E agora, às escuras, confrontando a verdadeira face da impureza, vem o sentimento nostalgico daquelas aureas moradas de esplendor real, daquela paz interior que um dia repousou em seus corações e foi perdida pela sordidez do vício.

Não é este o tormento que acomete a tantos jovens nas macas de hospitais, nos cárceres, na invalidez, vítimas da impureza?

A impureza "sempre" se apresentará a ti atraente, mas destrutiva. Quantas vidas não foram  destruídas por ela?

A pureza, porém, apresentar-se-a a ti modesta, mas santificante. Vêde a beleza e integridade que ela irradia nos rostos e carateres juvenis! Beleza e integridade que a impureza não pode oferecer.

A impureza destrói a vontade, transforma os bons em maus... Vêde Henrique VIII, rei da Inglaterra, que de defensor da Igreja tornou-se seu implacável perseguidor. Quem foi o autor de tal transformação? A impureza...

O que serás amanhã, depende muito da pureza de vida que levas hoje... Se começastes a enveredar pelo caminho da impureza, é questão de tempo para te transformar em um fascinora inimigo de Deus... E o impuro não consegue ser bom por muito tempo... Uma hora ou outra o vício triumfa...

A impureza é a grande algoz da juventude

A juventude é mole como a cera para inclinar-se ao vício, dizia Horácio (cf Horat. Art Poet., v. 163), e tu, jovem... Que te deparas por todos os lados com os insistentes apelos do mundo com seus atrativos fugazes, querendo te introduzir em seus caminhos sordidos; Tu, por seres altamente impressionável, deixa te levar facilmente por estes atrativos, mesmo que sejam enganosos e destrutivos... 

Tudo que cheira a aventura encanta os corações juvenis... Porém, quantos não se perderam nesta busca insana de aventura? Quantos, hoje, amargam seus irreparaveis estragos? Jovens, como tu, que em busca de liberdade, hoje se vêem chafurdados na triste escravidão dos vícios, e lamentam-se amargamente pelo que perderam. A Liberdade interior.



Bem-aventurado Pier Giorgio Frasatti, escalando montanha


Acima desta atmosfera triste e degradante, se eleva uma condição mais sublime, a vida pura, onde almas heróicas se lançam qual chamas para o alto, verso l'alto... Como o lema de vida de Pier Giorgio Frassatti, um jovem de carater, que com ânimo varonil venceu o mundo  lançando-se para o alto... 
Em sua lápide se encontra lavrado a tradução mais fiel de sua existência... "Descansa dignamente entre os anjos". Interroga-te se tua sepultura será digna de semelhante epitáfio. 

Lembra-te do coração florido, da paz da consciência pura, de Deus, de seus santos, de seus anjos, da Virgem puríssima.... E esquece o demônio e seus asseclas mundanos. 

Embora o mal tende a ser mais insinuante, há sempre o grito encorajador de Deus: "Jovem, sê forte!".

Um coração inquieto

O jovem, como todo ser humano, vive inquieto porque foi criado para Deus, e seu coração estará inquieto enquanto não repousar n'Ele - Fecisti nos, Domine, ad Te, et inquietum es cor nostrum  donec requiescat in te. (Sto Agostinho. Confissões. 1, 1). 

Nunca irás te conformar com este mundo que passa, nem com sua falsa esperança.

Tudo isso não pode satisfazer teu coração que anseia pelo infinito. Fostes feito para a eternidade, para as coisas do alto (Col 3, 1-3), sê como a águia, que se renova e se eleva para o alto, não sejas como o porco chafurdado na lama, e incapaz de elevar os olhos ao céu...

Só a verdade satisfaz o coração! 

Este desejo de liberdade que arde no coração humano, precisa de verdade para se mover. Sem a verdade, a liberdade move-se as cegas e não chega a lugar nenhum. "Sem o conhecimento da verdade, a liberdade desvirtua-se de seu fim", ensina Bento XVI.

Cristo abriu o verdadeiro caminho da liberdade.
A liberdade que o mundo oferece nada mais é que escravidão. Vede quantas vítimas desta falsa liberdade encontras por toda parte!

Só é livre quem ama, quem é puro, quem é integro...
A liberdade interior é uma exigência da alma que não pode ser calada...
O homem move-se espontanemete quando encontra algo que o atraí e sucita desejo. 
"E o que pode a alma desejar mais ardentemente do que a verdade?" (cf. Sto Agostinho. In Iohannis Evangelium Tractatus, 26, 5), questiona o doctor maximus e completa o doctor angélico: "É com efeito, natural ao homem  aspirar ao conhecimento da verdade" (cf. Sto Tomás de Áquino. De malo, IX, 1)

Esta busca interior só é satisfeita quando se encontra com aquele que é "Caminho, Verdade e Vida" (Jo 14, 6)

Caro, Jovem, em nenhum lugar encontrará repouso para teu coração inquieto, senão em Cristo, "Podes procurar tudo longe dele, mas sempre encontrará somente o nada...". 

"Porque nada existe senão n'Ele e para Ele" (Col 1, 16)