Lucto et emergo



Os campos tranquilos da Holanda são preservados há séculos da destruição por grandes diques poçantes erguidos para conter a fúria dos mares. As pessoas que vivem na Holanda, especialmente em uma das cidades mais ameaçadas por inundações, (Nieuwekerk Aan de Ijssel), -- de um lado pela maré alta, de outro, por eventuais inundações dos rios que a cortam --, desfrutam de imperturbável e invejável tranquilidade.
Mas, aquela serenidade que experimentada pelos holandeses de Nieuwekerk, é garantida pela segurança daqueles diques erguidos por grandes sacrifícios humanos, que caso venham se romper, a tragédia é incomensurável!

Grande dique da Zeeland, construído entre 1927 a 1933

A ilha de Zeeland, -- onde está situada Nieuwekerk --, área de maior risco de inundações, está a sete metros abaixo do nível do mar. Algumas vezes, esta ilha, teve sua serenidade abalada com o rompimento repentino de seus diques, ceifando milhares de vidas, mas a Zeeland sempre se ergue, e enfrenta com bravura a fúria do mar, erguendo diques mais poderosos que os anteriores. 

Em sua bandeira está estampada o lema que traduz sua luta secular contra os mares. Lucto et emergo (Luto e emerjo).


Digamos, que alguém se erga e comece a vociferar contra aqueles diques "repressores" que impedem os mares de "avançarem" sobre a Holanda. Obviamente, todos o reputariam por um  louco em potencial, incapaz de viver em sociedade.  
No entanto, diariamente se erguem muitos insanos contra os diques morais da humanidade que há séculos preservam a sociedade das mais avassaladoras tragédias!
Quantos males vimos brotar do abandono das leis naturais e divinas? Males bem mais destrutivos que as inundações na Zeeland, resultantes de rompimentos de diques marítimos. 
A mesma Holanda que se ergue imponente contra o avanço do mar, não é capaz de impedir sua degradação moral.
A Holanda que evangelizou o mundo, com um numero excepcional de missionários, hoje é tomada pelo paganismo; a Holanda de tantos santos e até mártires, hoje é a terra da prostituição legalizada e enaltecida, onde mulheres são expostas em vitrines como mercadorias; onde jovens se afundam nas drogas, que podem ser facilmente encontradas em cada esquina.

Mulheres nas vitrines, Distrito da Luz Vermelha, Amsterdan

O país que venceu a fúria dos mares, não evitou sua auto-destruição!

*****

Martíres de Gorkum (Holanda)

A Holanda do século XXI não é mais a Holanda serena de outrora. A Holanda dos santos e dos mártires; a Holanda dos missionários; a Holanda que luta contra os mares, já foi submersa pela devassidão.

O último senso religioso realizado no país apontou que apenas 5% de sua população católica ainda vai à Igreja. A future for religious heritage apresentou um dado ainda mais assustador: o país só tem 179 seminaristas, e pelo menos 700 igrejas serão entregues ao uso profano por conta da ausência de fiéis. 

O que se pode dizer sobre este triste cenário da Igreja na Holanda?

A Holanda, historicamente, também protagonizou tristes cenas de rebeldia contra a Santa Sé. De lá veio a rebelião que naturalizou a comunhão na mão; de lá veio uma terrível iconoclastia que levou homens santos ao martírio; de lá veio o movimento da devotio moderna, que culminou em novas e terríveis heresias; de lá veio o terrível cisma dos chamados "vetero-católicos" que se opunham a infalibilidade pontifícia. Enfim, com tantas sementes de rebelião plantadas ao longo de sua história, só poderiamos esperar frutos amargos no futuro.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De filha primogênita da Igreja à filha errante

O dia em que Chesterton se apaixonou

Os medievais acreditavam que a terra era plana?