terça-feira, 9 de junho de 2015

Um Florilégio à Maria






Ó Virgem, pela tua bênção é abençoada a criação inteira! O céu e as estrelas, a terra e os rios, o dia e a noite, e tudo quanto obedece ou serve aos homens, congratulam-se.
Ó Senhora, porque a beleza perdida foi por ti, de certo modo, restaurada e dotada de uma graça nova e inefavel. Todas as coisas pareciam mortas, ao perderem sua dignidade original que é de estar em poder e a serviço dos que louvam a Deus. Perante esta nova e inestimável graça, todas as coisas exultam de alegria ao sentirem que Deus, seu Criador, não apenas as governa invisivelmente lá do alto, como também está visivelmente nelas, santificando-as com o uso que delas faz. Tão grandes bens procedem do bendito fruto do sagrado seio da Virgem Maria!
Pela plenitude de tua graça, aqueles que estavam na mansão dos mortos alegram-se agora libertos; e os que estavam acima do céu, rejubilam-se renovados. Com efeito, pelo Filho glorioso de tua gloriosa virgindade, todos os justos que morreram antes da sua morte vivificante, exultam pelo fim de seu cativeiro, e os anjos se congratulam pela restauração de sua cidade quase em ruínas.
Ó mulher cheia e mais que cheia de graça, o transbordamento de tua plenitude faz renascer toda criatura, ó Virgem bendita e mais que bendita, pela tua bênção é abênçoada toda a natureza, não só as coisas criadas pelo Criador, mas também o Criador pela criatura. Deus deu à Maria o seu próprio Filho, único gerado de seu coração, igual a si, a que amava como a si mesmo, no seio de Maria formou seu Filho, não outro qualquer mais o mesmo, para que por natureza, fosse realmente um só e o mesmo filho de Deus e de Maria. Toda criação é obra de Deus e Deus nasceu de Maria. 
Deus criou todas as coisas e Maria deu à luz a Deus! Deus que tudo fez, formou-se a si próprio no seio de Maria, e deste modo, refêz tudo o que tinha feito. Ele que pode fazer tudo do nada, não quis refazer sem Maria o que fora profanado. Por conseguinte, Deus é o Pai das coisas criadas e Maria a mãe das coisas recriadas. Deus é o Pai da criação universal, pois gerou Aquele por quem tudo foi feito, e Maria a mãe da redenção universal, pois gerou aquele por quem tudo foi salvo. Deus gerou Aquele sem o qual nada absolutamente existe, e Maria deu à luz Aquele sem o qual nada absolutamente é bom. Verdadeiramente o Senhor é contigo, pois quis que toda natureza reconheça que deve a Ti juntamente com Ele, tão grande benefício.


(Sto Anselmo de Cantuária [ou Canterbury], in Meditações, séc. XII)