quarta-feira, 27 de junho de 2018

Um sorriso do paraíso




                       A maternidade era a maior ambição terrena de Chiara Corbella Petrilo, uma jovem italiana com os olhos e o coração voltados para a eternidade.
Suas duas primeiras experiências de gravidez não foram muito felizes: os recém nascidos não viveram mais que 30 dias.
O sorriso natural de Chiara resplandeceu ao ser comunicada que mais um filho estava por vir. No entanto, a alegria daquele anuncio fora acompanhado por uma noticia indesejada: Chiara estava com um câncer raro e não poderia tratá-lo durante a gravidez, a não ser que o faça comprometendo a vida do filho. Chiara não hesitou: deixou de lado o tratamento para dar continuidade a gravidez.
Apesar da notícia trágica, o ar festivo de Chiara não se desfez; a alegria de ser mãe lhe era bem maior do que a tragédia do câncer; uma alegria que contrastava com o ar desolado de seu marido Enrico, que se via perdido em um terrível dilema: a possibilidade de perder a esposa ou o filho.
Ao completarem-se os dia de gravidez, vinha ao mundo um menino saudável. Por outro lado, a saúde da mãe se esvaia em ritmo acelerado. O câncer foi implacável! destruiu parte da língua e levou a vista do olho direito. Mas, apesar do físico radicalmente debilitado, o sorriso de Chiara não perdeu o brilho. Pelo contrário, adquiria tal luminosidade em meio ao doloroso calvário que atravessava que, aos que a acompanhavam, Chiara tornava-se um sinal eloquente do paraíso e um exuberante testemunho de heroísmo perante o sofrimento. Aquele sorriso só veio cessar no dia 13 de junho de 2012, com sua passagem para a eternidade.
Chiara constitui-se um exemplo radiante que nos ensina a transcender as circunstâncias trágicas da vida com um novo olhar e nos incute animo resoluto para atravessar nosso calvário sem perder a esperança e a alegria.

***
 
Ao lado de Cristo, haviam outros dois supliciados, um blasfemava e o outro se resignava e alcançava o paraíso. O sofrimento pode ser a escada para o paraíso ou para os abismos. Isso dependerá de como o receberemos.